domingo, 15 de janeiro de 2017

14 de Janeiro de 1954 – O primeiro experimento da Força Repelente

O Fundador da Indústria [pós] moderna brazylyense teve um pai e mãe que não perdiam uma oportunidade de lhe demonstrar como ele era mediano – e ele era realmente mediano. A começar do nome – João Gonçalves Sousa Silva não consiste em nome em verdade destruidor de corações. João Gonçalves era bom em algumas matérias e não em outras. No geral, ficava no average. Achava que as garotas nada queriam com ele, e o achavam invisível – mais ou menos como todos os outros garotos de catorze anos e um dia – a idade que tinha na data. Sem ser exatamente feio, não era bonito. Sem ser fracote, não era forte. Em geral, não era.

Ninguém soube [e continua um segredo bem guardado] como aquele garoto descobriu a força repelente. As melhores especulações creem que partiu da lei da ação e reação de Newton – para a partir daí perceber que os seres físicos se atraem e se repelem. E que se ele pudesse criar um veículo que repelisse toda aproximação a qualquer matéria, este se moveria [de novo a lei de Newton].

A primeira experiência envolveu um carrinho de rolemã – e uma chapa de titânio vanadiado que teoricamente deveria fazê-lo ir para frente.

Foi para trás, e João Gonçalves Sousa Silva quebrou três ossos, em cinco pontos diferentes.

Não desistiu, e sete anos depois, no mesmo dia 14 de janeiro a Força de Reação do Exército Branco testou os primeiros veículos de transporte de tropas baseados na força repelente. O sucesso inspirou comentários não exatamente tranquilizadores para os países vizinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário