sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

19 de Janeiro de 1965 – O Maior Amante

Tácitus Marcellus ganhou [talvez não de maneira inteiramente justa] o título-insulto de Precursor da Cultura da Superficialidade que impera em nossa Infeliz Época. De fato Tacitus Marcellus [mais conhecido como Tácito o Grande, por razões que serão explicitadas a seguir] pouco tem a ver com qualquer onda de qualquer comportamento negativo, e de fato, não tem ele a ver com qualquer outra coisa além disso.

Em 1947 o Brasil passou o PIB da [até então] maior potência do mundo. Em 1955 foi testada a bomba fotônica [apesar dos desmentidos oficiais do temido SIM – Serviço de Inteligência Militar brasileiro] e em 1962 a indústria têxtil maranhense [a maior e mais dinâmica de todo o mundo] lançou a minissaia [em aparente contradição a seus próprios interesses, pois o novo produto gastava relativamente pouco pano].

Essse conjunto de sucessos militares, políticos e modísticos provou ser o Brasil idiscutivelmente o país líder do mundo, desde a alta geopolítica até a futilidade.

Pouco demorou para esta liderança passar para o cinema Hard: o país [para escândalo dos que o consideravam irremediavelmente católico] lançou no dia de hoje o primeiro filme em que os tecidos diáfanos e as modelos nuas na praia em tomadas bem de longe cederam lugar ao baixinho e com cara de boboca a comer melancia Tácito a mostrar os epítomes da masculinidade a três grupas mancebas.

O chauvinismo brasileiro não tardou a considerar isso motivo de orgulho, e a batizar o dia de hoje como Data Maior do Pornô Nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário