domingo, 29 de janeiro de 2017

29 de Janeiro de 834 – O Dia da Reprodução Obrigatória

Por incrível que pareça [talvez pelo desproporcional interesse que os assuntos ainda que remotamente sexuais parecem despertar] sabe-se precisamente a data em que o Principado Zankhai [que ocupava uma faixa de costa do atual Sergipe até o Espírito Santo] decretou o acontecimento lembrado por desde patriotas até escritores de livros pouco chegados à pureza.

Os ossos do almirante Zheng Ho Chi, O Solitário, já se tinham transformado em pó e os navegantes mandchurianos [um dos componentes do Brasil] já se tinham [quase] esquecido de sua origem oriental, mas um problema persistia – a falta de gente.

Bayan Zheng [que não era descendente do fundador do ramo chinês do Brasil mas achou mais importante o Poder que a veracidade] decretou ser a continuidade mais importante que a decência: declarou que [naquele dia] todos os que tivessem condições mínimas de reproduzir-se deveriam realizar o ato que levam a tal consequência. Para completar duplas, homens e mulheres da tribo Harik [que já tinham levado muitos da comunidade Zankhai para o céu dos guerreiros em guerras seculares] foram convidados [ou forçados] a se integrarem.

A versão mais confiável é a que tem menos graça – Bayan Zheng [de resto um homem absolutamente desporvido de sex appeal] em um palco e através de um sino ficou a dar ordens – primeiro Tirem as roupas, depois Copulem, depois Terminem.

Claro que os escritores pornográficos descrevem a cena de mais mais colorida, e [embora quase que seguramente falsa] bem mais interessante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário