quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

1 de Fevereiro de 1917 – O Improvável Estabelecimento do Tempo dos Três Impérios

Um ridículo historiador com as vergonhas de fora ousou dar ordens à História!!! - e com essa manchete [incluídas as três exclamações] o jornal O Libelo Acusatório [hiper de direita] lançou [talvez inadvertidamente] a mais comum acusação à hipótese dos Três Impérios – a que tenha sido lançada em um congresso nudista.

E não era nada disso. Lönrot Vasconcelos era alto, espichado, com óculos e um desajeitamento que o fariam confundir com um secundarista nerd – decididamente não faria figura atrante sem roupa [e que não o impedia de ser membro do movimento naturiata, daí a fraquíssima base factual da fofoca].

O maior dos arqueólogos brasileiros cavocara várzeas e cavernas desde Guayaquil [conquistada na breve guerra de 1901] até a Lagoa do Ubari, no Ceará. Descobrira vertígios e o mais meritório [segundo seus admiradores] sequer fora descobri-los, mas saber que havia uma lógica entre eles – para ser exato, três lógicas.

Uns eram de bronze, e neles predominavam as longas espadas. Outros, elaborados e feitos de uma madeira que, petrificada, durava mais de milênio. Noutros pululavam as inscrições em mármore. Lönrot traduziu tudo.

E [no dia seguinte ao final do congresso naturista, daí a natureza caluniatória da manchete], Lönrot afirmou que entre os séculos II e XIII o Brasil fora dividido por três povos – um de origem escandinava, outro romana, outro kirguiz. Os jornal nacionalistas [que apoiavam a ideia de uma origem autóctone] compreensivelmente lançaram campanha de difamação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário