domingo, 5 de fevereiro de 2017

5 de Fevereiro de 1952 – O Fim do Conselho dos Dezoito

Começou como um tradicional golpe de estado e não terminou como um. O Conselho dos Dezoito tinha mudado os nomes das cidades dos tradicionais nomes de acidentes geográficos e de santos [Rio de Janeiro e São Paulo por exemplo] para denominações gregas na ordem do abecedário. Por alguma razão misteriosa não puderam na capital do país o nome de Cidade Alfa, mas de Cidade Ômega, sem que fosse em verdade a última. E por alguma razão mais misteriosa ainda escolheram uma capital, pois o Conselho dos Dezoito não aparecia em público e nem recebia os diplomatas estrangeiros [quem falava com os gringos era um funcionário que por alguma razão inexplicável parecia ter sempre compunção ao bocejo – mas como o Brasil já era a grande potência mundial, os estrangeiros engoliam essa quase afronta] sendo debatível porque exatamente precisavam de uma cidade capital.

De fato os Tanques da Milícia do Além [e só poderes celestiais ou coisa parecida seriam capazes de explicar porque esse nome] rolaram pela Cidade Ômega sem encontrarem resistência [nem curiosidade – na verdade não encontraram quase ninguém].

Entraram no Palácio, chegaram à sala do rádio – e atrás de um microfone encontraram um esqueleto e duas canetas de baquelita. Alguém especulou que aquele fora o último dos Conselheiros, que estava morto havia anos, e que o país [e o mundo] estiveram obedecendo a gravações.

Os golpistas contiveram um frio na espinha, decidiram nunca mencionar o assunto e anunciaram a mudança de regime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário