quarta-feira, 19 de julho de 2017

13 de Maio de 1948 – O Poder do Amor contra



Contra o Poder do Amor Contra o Poder do Horror! – e em uma praia esquecida do leste do Rio Grande do Norte um grupo de rapazes e moças nus [que apesar de jovens possuíam quase todos uma estética passível de dúvidas] lançaram [ao menos oficialmente] a rebeldia contracultural em oposição ao sistema.

No Brasil a explosão do Love Power começou [como sempre e como quase tudo] antes de outros países. Nunca ficou muito claro exatamente que sistema é esse ao qual se referiam. [Alguns dizem que era o sistema solar, para marcar como o novo movimento se opunha a tudo – mas receia-se que isso seja uma piada]. Outros que eram os pais – embora pais e mães tivessem seu poder já bastante enfraquecido: o Conselho dos Dezoito [o regime presumivelmente eterno sobre o país e o mundo] já avançara fundo no seu programa de Orientação Eclética [um eufemismo para a criação de crianças em nurserias coletivas, parcialmente longe do controle das famílias]. 

Alguns [inevitavelmente] confundiram o sistema com o governo: o alvo seria [de maneira nada surpreendente] o próprio Conselho – o que complicava o movimento, pois não se sabia onde o Conselho estava, nem exatamente o que seria – e não poucos duvidavam de sua existência.
O Poder do Amor decidiu então lutar contra o sistema sem especificar exatamente do que se tratava. Isso pode ter tornado o movimento mais divertido, embora o tenha feito fenecer por um par de décadas – e atualmente só se o lembra no dia de hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário